Google+ Followers

Pesquisar este blog

quinta-feira, 6 de julho de 2017

PRI's international round-up of criminal justice news for June 2017

PRI e-newsletter junho 2017

E-boletim
junho 2017
Bem-vindo ao e-boletim mensal da Reforma Penal Internacional, um round-up da PRI e outras notícias reforma penal de uma variedade de justiça penal e dos direitos humanos recursos em todo o mundo.

As opiniões expressas nos artigos de notícia abaixo não são necessariamente as do PRI.
Na edição deste mês:
New este mês: 

Relatório Anual do PRI 2016



Relatório Anual do PRI 2016, que descreve o impacto do nosso trabalho e realizações durante o ano passado, é agora on-line .

Destaques de 2016 incluíram:
  • contínua promoção global do Regras Nelson Mandela (as Regras Mínimas revistos para o tratamento de prisioneiros), ea publicação do Guia do curto para o Mandela Regras Nelson, que agora está disponível em oito idiomas.
  • O nosso trabalho para promover o uso de alternativas à detenção contínua em todos os nossos escritórios regionais, e um projeto piloto com o parceiro Kenya Probation serviço foi implementado para desenvolver uma abordagem sensível ao género para a entrega de sanções comunitárias.
  • Continuamos a compartilhar nosso aprendizado sobre o gerenciamento de extremismo violento e prisioneiros radicalizados, com nossos escritórios regionais principais reuniões e treinamentos de mesa redonda em países como o Cazaquistão, Marrocos e Argélia
  • 300 funcionários nos locais de detenção na Ásia Central receberam treinamento sobre as normas internacionais, leis e boas práticas como parte de um programa de três anos para acabar com a violência contra as crianças.
Leia o relatório aqui .
No centro das atenções: 

Ásia Escritório Central do PRI


Image: Os participantes do treinamento para funcionários de monitoramento.

Este mês, o nosso foco é sobre o recente trabalho de do PRI Ásia Central escritório.

Primeiro grupo para monitorar instituições fechadas para crianças lançado no Cazaquistão

Pela primeira vez no Cazaquistão, um grupo de monitoramento foi estabelecido para efectuar o controlo público permanente e independente das instituições penitenciárias para as crianças. O grupo, que fica sob o Comissário para os Direitos da Criança, na República do Cazaquistão, foi criado com o apoio do PRI e UNICEF .

Fórum Nacional sobre a radicalização de prisioneiros no Cazaquistão

Em 30 de maio 2017, na Ásia Central escritório do PRI (PRI CA) sediou o Fórum Nacional sobre a prevenção da radicalização de prisioneiros e combater o extremismo violento em prisões no Cazaquistão, em Astana, Cazaquistão. O objetivo do diálogo era criar uma plataforma construtiva para discutir métodos de luta contra a radicalização em prisioneiros e prevenir o extremismo violento. Ler o comunicado completo do PRI CA sobre o Fórum Nacional em Inglês , cazaque e russo .

PRI hospeda mesa redonda sobre o acesso à justiça para os grupos vulneráveis no Cazaquistão
Em 23 de Maio 2017, PRI CA, juntamente com a União Europeia e diversas organizações nacionais e internacionais, co-organizou uma mesa redonda nacional, acesso à justiça para os grupos vulneráveis em locais de privação e limitação da liberdade: enfoque especial sobre as mulheres e os direitos das crianças, em Astana, Cazaquistão. A mesa redonda, que foi dedicado às crianças do Dia Internacional (1 de junho), senta-se no âmbito de um projecto implementado pela PRI CA e financiado pela Delegação da União Europeia para o Cazaquistão . O projeto visa apoiar a reforma judicial no país, capacitando organizações da sociedade civil para melhorar o acesso à justiça para os grupos vulneráveis.
Leia comunicado de imprensa do PRI CA na mesa redonda em Kazakh   e russo .

Tweet do mês

@PrisonersEd

Leitura para a liberdade: o esquema de mudança de vida sonhada por amigos da pena de prisão Siga PRI no Twitter !
novos blogs 

Blog especialistas: Prisões e os doentes mentais - por questões de design


Foto: Delaware Co-ed Forense Estabelecimento de Saúde Mental, RicciGreene Arquitetos projeto. Crédito: arquivos CGL.
populações prisionais têm um desproporcionalmente alta taxa de pessoas que sofrem com a saúde mental ou problemas comportamentais. Em um novo relatório, o Dr. Marayca López e Laura Maiello-Reidy de Empresas CGL, um criminoso empresa de planejamento justiça e design preeminente com sede em Nova York, explicar como design de prisão pode melhorar significativamente as condições de vida dos presos doentes mentais. Eles compartilham princípios de design que podem ajudar a criar edifícios prisionais que têm um restaurador, não prejudicial, o impacto sobre os presos que sofrem de doença mental.

Blog: A crescente preocupação para a superlotação das prisões

Prisão de Mulheres no Quirguistão
Crédito da foto: Prisão de Mulheres no Quirguistão, Eleonora Sharshenalieva de 2016

Neste blog, Jessica Bullock, fundador da SPEAK Vermont iniciativa Debate prisão , discute os padrões humanos internacionais relevantes de direitos que são fundamentais para responder a pergunta - quando é que as condições das prisões constituem um tratamento 'cruel ou desumano' ou 'tortura'?

Leia PRI plano de 10 pontos para reduzir a superlotação das prisões , que fornece orientação para os formuladores de políticas sobre como lidar com a superlotação das prisões e atenuar as suas consequências nocivas.
prevenção da tortura

Dia Internacional de Apoio às Vítimas da Tortura

Por ocasião do Dia Internacional de Apoio às Vítimas da Tortura , APT apoio internacional mobilizada para encorajar uma acção concertada para prevenir a tortura em todo o mundo através de uma coordenada Apelo Conjunto do Relator Especial da ONU sobre a Tortura, Nils Melzer , e seus três antecessores,

outras notícias

Chile: Chile leva passo histórico no Mecanismo Nacional de Prevenção
China: Projeto de lei sobre centros de detenção não vai ajudar a reduzir a tortura policial, dizem os críticos
Geórgia: Defensoria Pública apresenta relatório anual do Mecanismo Nacional de Prevenção
Índia: Polícia tortura supostamente leva a par tentar auto-imolação
Moldávia: Formação de Formadores Curso de Prevenção e Combate à Tortura, Maus Tratos e Impunidade
Paquistão: tortura Polícia de jovens médicos condenados
Rússia: Supremo Tribunal de ordens Tatarstan Ministério do Interior para pagar US $ 1.200 a um homem torturado pela polícia
Sudeste da Europa: Sudeste MPN Europeia preocupações compartilham mais de tratamento das pessoas com deficiência mental em detenção
Tailândia: New comitê anti-tortura recebida com ceticismo, críticas  
Uganda: Comissão de Direitos Humanos exige a aplicação da legislação anti-tortura
Ucrânia: Relatório do Conselho da comissão de anti-tortura Europa: polícia maus-tratos e as más condições de detenção de prisão preventiva e os presos condenados de vida
Venezuela: D
 etainees dizem que estão sendo espancados, torturados sob custódia policial
política de drogas 

Secretário-Geral da ONU: 'vital' precisa examinar a eficácia da guerra-on-drogas aproximar
Em 26 de junho, o Dia Internacional contra o Abuso eo Tráfico Ilícito , secretário-geral da ONU, António Guterres observou que é 'vital' para examinar a eficácia das drogas guerra contra o aproximar e suas consequências para os direitos humanos. Ele instou a comunidade internacional a honrar os 'compromissos unânimes' para reduzir os danos que as drogas causam de uma forma que promova a igualdade e os direitos humanos, que foram feitas na Sessão Especial da Assembléia das Nações Unidas sobre o Problema Mundial das Drogas ( UNGASS 2016 ).

Novo estudo: nenhuma relação entre prisão de drogas e problemas com drogas

Pesquisadores do US-based Pew Charitable Trusts têm dúvidas sobre a teoria de que duras penas de prisão impedir o uso de drogas eo crime relacionado, não encontrando nenhuma relação significativa entre as taxas de prisão agressor drogas dos estados e três medidas de problemas com drogas: as taxas de uso ilícito, overdose mortes e prisões. Os seus resultados são estipulados em uma carta à Comissão Presidencial sobre o Combate da Toxicodependência ea Crise de opióides .

Outras notícias e recursos

Austrália: política prisão de Queensland é 'estúpido', diz ex-chefe como ele chama de drogas repensar
Camboja: combustíveis da guerra às drogas aglomerando, preocupações com a saúde
China: Cerca de 120.000 dada ao longo de cinco anos de prisão por crimes de drogas desde 2012
Irão: tentativas bloqueia comissões parlamentares agências de segurança para atrasar drogas alteração pena de morte
Malásia: Alguns 33.500 condenados na prisão por causa do abuso de drogas
Nova Zelândia: corte de álcool e drogas ganhos piloto uma extensão após os primeiros resultados
Filipinas: Relatório mostra aumento 511% em presos em meio a guerra contra as drogas
Sri Lanka: ameaça de Drogas: O que está errado?
UNODC: World Report Drogas 2017
EUA: Jeff Sessions quer uma nova guerra contra as drogas. Não vai funcionar.
EUA: Como os tribunais de drogas estão aquém
Abolição da pena de morte ea prisão perpétua 

Especialistas da ONU: Egito deve suspender as execuções de seis homens condenados após julgamentos injustos

Um grupo de especialistas da ONU afirmaram que o governo do Egito deve suspender a execução de seis homens condenados à morte após julgamentos que não cumprem as normas internacionais de justiça. Os homens tinham sido condenados com base em confissões forçadas que mais tarde foram retraídos.

outras notícias

China: 13 condenados à morte por crimes relacionados a drogas como milhares olhar com julgamento público
Conselho da Europa: Relatores condenar a execução em Belarus
Egito: tribunal egípcio recomenda pena de morte para 30 ao longo do assassinato de promotor
Índia: Por que pena de morte não é a resposta à violência sexual na Índia
Líbano: O ministro do Interior inflexível sobre retomar pena de morte
Paquistão: 'blasfemador Facebook' dado pena de morte
EUA: Juiz aceita uma ampla reforma de protocolos de pena de morte Arizona
EUA: Advogados concurso constitucionalidade do Nebraska pena de morte

Condições de detenção e Regras de Nelson Mandela

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

Sugestões: Livros e Revistas

  • AGUIAR, Geraldo Mario de. Sequestro Relâmpago. Curitiba: Protexto, 2008.
  • ANDRADE, Vera Regina Pereira de. Sistema Penal Máximo x Cidadania Mínima: códigos da violência na era da globalização. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2003.
  • ANDRADE. Pedro Ivo. Crimes Contra as Relações de Consumo - Art. 7º da Lei 8.137/90. Curitiba: Juruá, 2006.
  • ANITUA, Gabriel Ignácio. História dos Pensamentos Criminológicos. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2008. Coleção Pensamento Criminológico n. 15.
  • ARAÚJO, Fábio Roque e ALVES, Leonardo Barreto Moreira (coord.). O Projeto do Novo Código de Processo Penal. Salvador: Juspodivm, 2012. 662p.
  • AZEVEDO, Rodrigo Ghiringhelli de; CARVALHO, Salo de. A Crise do Processo Penal e as Novas Formas de Administração da Justiça Criminal. Porto Alegre: Notadez, 2006.
  • BAKER, Mark W. Jesus, o Maior Psicólogo que Já Existiu. São Paulo: Sextante, 2005.
  • BARATA, Alessandro. Criminologia Crítica e Crítica do Direito Penal: introdução à sociologia do direito penal. Trad. e pref. Juarez Cirino dos Santos. 3. ed. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2002. ( Pensamento criminológico; 1)
  • BARBATO Jr, Roberto. Direito Informal e Criminalidade: os códigos do cárcere e do tráfico. Campinas: Millennium, 2006.
  • BARKER, Gary T. Homens na linha de fogo - juventude, masculinidade e exclusão social. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2008.
  • BATISTA, Vera Malagutti. Dificeis ganhos faceis. 2. ed. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2003. (Pensamento criminológico; 2)
  • BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Trad. Maria Helena Kühner. 4. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.
  • BRAUN, Suzana. A violência sexual infantil na família: do silêncio à revelação do segredo. Porto Alegre: AGE, 2002.
  • CARNEGIE, Dale. Como fazer amigos e influenciar pessoas. Trad. de Fernando Tude de Souza. Rev. por José Antonio Arantes de acordo com a edição americana de 1981 aumentada por Dorothy Carnegie. 51. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2003.
  • CARVALHO, Salo de. A Política Criminal de Drogas no Brasil (Estudo Criminológico e Dogmático). 4. ed. ampl. e atual. e com comentários à Lei 11.343/06. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.
  • CARVALHO, Salo de. Anti Manual de Criminologia. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2008.
  • CARVALHO, Salo de. Crítica à Execução Penal - 2. ed. rev., ampl. e atual. de acordo com a Lei nº 10.792/2003. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.
  • CASTRO, Lola Aniyar de. Criminologia da Libertação. Trad. Sylvia Moretzsohn. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2005. (Pensamento criminológica; v. 10)
  • CERVINI, Raul. Os processos de descriminalização. 2. ed. rev. da tradução. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2002.
  • CHARAM, Isaac. O estupro e o assédio sexual: como não ser a próxima vítima. Rio de Janeiro: Record/Rosa dos Ventos, 1997.
  • COSTA, Yasmin Maria Rodrigues Madeira da. O Significado ideológico do sistema punitivo brasileiro. Rio de Janeiro: Revan, 2005.
  • D'AVILA, Fabio Roberto; SOUZA, Paulo Vinicius Sporleder de. Direito Penal Secundário: Estudos sobre Crimes Econômicos, Ambientais, Informática. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2006.
  • D'ELIA FILHO. Orlando Zaccone. Acionistas do Nada: quem são os traficantes de droga. Rio de Janeiro: Revan, 2007.
  • DA ROSA, Alexandre Morais. Guia Compacto de Processo Penal conforme a Teoria dos Jogos. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2013.
  • DA SILVA, Edimar Carmo; URANI, Marcelo Fernandez. Manual de Direito Processual Penal Acusatório. Curitiba: Juruá, 2013.
  • DE GIORGI, Alessandro. A miséria governada através do sistema penal. Rio de Janeiro: ICC/Revan, 2006. Coleção Criminológica n. 12.
  • DIMOULIS, Dimitri. Manual de Introdução ao Estudo do Direito. 2. ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.
  • DIMOULIS, Dimitri. O caso dos denunciantes invejosos: introdução prática às relações entre direito, moral e justiça. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2003.
  • DOUGLAS, William. Como falar bem em público/ William Douglas, Ana Lúcia Spina, Rogério Sanches Cunha. São Paulo: Ediouro, 2008.
  • FERNANDES, Antonio Scarance. Processo Penal Constitucional. 7. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2012.
  • FERNANDES, Antonio Scarance. Processo Penal Constitucional. 7. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2012.
  • FERREIRA, Francisco Amado. Justiça Restaurativa: Natureza. Finalidades e Instrumentos. Coimbra: Coimbra, 2006.
  • FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: história da violência nas prisões. 33. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.
  • FRANCO, Alberto Silva. Crimes Hediondos. 6. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.
  • FREIRE, Christiane Russomano. A violência do sistema penitenciário brasileiro contemporâneo: o caso RDD ( regime disciplinar diferenciado). São Paulo: IBCCRIM, 2005 (Monografias / IBCCRIM; 35)
  • GERBER, Daniel; DORNELLES, Marcelo Lemos. Juizados Especiais Criminais Lei n.º 9.099/95: comentários e críticas ao modelo consensual penal. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2006.
  • GIORGI, Alessandro De. A miséria governada através do sistema penal. Trad. Sérgio Lamarão. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2006 (Pensamento criminológico; v. 12)
  • GOFFMAN, Erving. Manicômios, prisões e conventos. Trad. Dante Moreira Leite. São Paulo: Perspectiva, 2007. (Debate; 91/ Dirigida por J. Guinsburg)
  • GOMES, Rodrigo Carneiro. Crime Organizado na visão da Convenção de Palermo. Belo Horizonte/MG: Del Rey, 2008.
  • GRISHAM ,John. O advogado. Trad. de Aulyde Soares Rodrigues. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.
  • JAKOBS, Günther; MELIÁ, Manuel Cancio. Direito Penal do inimigo: noções e críticas. org. e trad. André Luís Callegari, Nereu José Giacomolli. 2. ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2007.
  • JUNIOR, Heitor Piedade et al. Vitimologia em debate II. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 1997.
  • JUNIOR, Heitor Piedade. Vitimologia: evolução no tempo e no espaço. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1993.
  • KALIL, Gloria. Alô, Chics ! - Etiqueta Contemporânea. Rio de Janeiro: Ediouro, 2007.
  • KARAM. Maria Lúcia. Juizados Especiais Criminais: a concretização antecipada do poder de punir. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2004.
  • KHADY. Mutilada. Khady com a colaboração de Marie-Thérère Cuny. Trad. de Rejane Janowitzer. Rio de Janeiro: Rocco, 2006.
  • KONZEN, Afonso Armando. Justiça Restaurativa e Ato Infracional: Desvelando Sentidos no Itinerário da Alteridade. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2007.
  • KOSOVSKI, Ester (org.); JUNIOR, Heitor Piedade (org.).Vitimologia e direitos humanos.Rio de Janeiro:Reproart,2005
  • KOSOVSKI, Ester: PIEDADE JR, Heitor (org.). Temas de Vitimologia II. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2001.
  • KOSOVSKI, Ester; SÉGUIN, Elida (coord.). Temas de Vitimologia. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2000
  • LOPES JÚNIOR, Aury. Direito Processual Penal. 10. ed. São Paulo: Saraiva, 2013.
  • MARTIN, Luís Gracia. O Horizonte do Finalismo e o Direito Penal do Inimigo. Trad. Érika Mendes de Carvalho e Luiz Regis Prado. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.
  • MAZZILLI NETO, Ranieri. Os caminhos do Sistema Penal. Rio de Janeiro: Revan, 2007.
  • MAÍLLO. Alfonso Serrano. Introdução à Criminologia. Trad. Luiz Regis Prado. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.
  • MELOSSI, Dario; PAVARINI, Massimo. Cárcere e fábrica: as origens do sistema penitenciário (séculos XVI - XIX). Trad. Sérgio Lamarão. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2006. (Pensamento criminológico; v. 11).
  • MENDRONI, Marcelo Batlouni. Crime de lavagem de dinheiro. São Paulo: Atlas, 2006.
  • MENDRONI, Marcelo Batlouni. Crime Organizado - Aspectos Gerais e Mecanismos Legais. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2007.
  • MEROLLI, Guilherme. Fundamentos Críticos de Direito Penal - Curso Ministrado na Cadeira de Direito Penal I da UFSC. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.
  • MESTIERI, Jõao. Manual de Direito Penal. 1. ed., 2. tiragem. Rio de Janeiro: Forense, 2002. v. I.
  • MOLINA, Antonio Garcia-Pablos de; GOMES, Luiz Flávio. Criminologia. Org. Rogério Sanches Cunha. 6. ed. ref., atual e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
  • MULLER, Jean Marie. Não-violência na educação. Trad. de Tônia Van Acker. São Paulo: Palas Atenas, 2006.
  • NEPOMOCENO, Alessandro. Além da Lei - a face obscura da sentença penal. Rio de Janeiro: Revan, 2004.
  • NEVES, Eduardo Viana Portela. Criminologia para concursos públicos. Salvador: Juspodivm, 2013.
  • NUCCI, Guilherme de Souza. Código de Processo Penal Comentado. 7. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
  • NUCCI, Guilherme de Souza. Código Penal Comentado. 8. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
  • NUCCI, Guilherme de Souza. Leis Penais e Processuais Penais Comentadas. 3. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
  • NUCCI, Guilherme de Souza; NUCCI, Naila Cristina Ferreira. Prática Forense Penal. 3. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
  • OLIVEIRA, Ana Sofia Schmidt de. A Vítima e o Direito Penal: uma abordagem do movimento vitimológico e de seu impacto no direito penal. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1999.
  • OLMO, Rosa. A América Latina e sua criminologia. Rio de Janeiro: ICC/Revan, 2004. Coleção Pensamento Criminológico n. 9.
  • PACELLI, Eugênio. Curso de Processo Penal. 16 ed. São Paulo: Atlas, 2012.
  • PASUKANIS, Eugeny Bronislanovich. A teoria geral do direito e o marxismo. trad., apres. e notas por Paulo Bessa. Rio de Janeiro: Renovar, 1989.
  • PEASE, Allan; PEASE, Barbara. Como conquistar as pessoas. Trad. de Márcia Oliveira. Rio de Janeiro: Sextante, 2006.
  • PEASE, Allan; PEASE, Barbara. Desvendando os segredos da linguagem corporal. Trad. Pedro Jorgensen Junior. Rio de Janeiro: Sextante, 2005.
  • POLITO, Reinaldo. Oratória para advogados e estudantes de Direito. São Paulo: Saraiva, 2008.
  • POLITO, Reinaldo. Oratória para advogados e estudantes de Direito. São Paulo: Saraiva, 2008.
  • POLITO, Reinaldo. Superdicas para falar bem: em conversas e apresentações. São Paulo: Saraiva, 2005.
  • PORTO, Roberto. Crime Organizado e Sistema Prisional. São Paulo: Atlas, 2007.
  • PRADO, Luiz Regis. Bem Jurídico-Penal e Constituição. 3. ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2003.
  • PRADO, Luiz Regis. Comentários ao Código Penal. 4. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.
  • Revista Visão Jurídica - Editora Escala (www.escala.com.br)
  • RODRIGUES, Anabela Miranda. A posição jurídica do recluso na execução da pena privativa de liberdade. São Paulo: IBCCRIM, 1999 (Monografias / IBCCRIM; 11)
  • ROSA, Alexandre Morais da. Garantismo Jurídico e Controle de Constitucionalidade Material. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2005.
  • ROSA, Alexandre Morais da. Introdução Crítica ao Ato Infracional - Princípios e Garantias Constitucionais. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.
  • ROSA, Alexandre Morais da. Para um Processo Penal Democrático: Crítica à Metástase do Sistema de Controle Social. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2008.
  • ROVINSKI, Sonia Liane Reichert. Dano Psíquico em Mulheres Vítima de Violência. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2004.
  • RUSCHE, Georg; KIRCHHEIMER, Otto. Punição e Estrutura Social. 2. ed. Trad. Gizlene Neder. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2004. (Pensamento criminológico; 3)
  • SABADELL, Ana Lucia; DIMOULIS, Dimitri; MINHOTO, Laurino Dias. Direito Social, Regulação Econômica e Crise do Estado. Rio de Janeiro: Revan, 2006.
  • SABADELL, Ana Lúcia. Manual de Sociologia Jurídica: Introdução a uma Leitura Externa do Direito. 4. ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
  • SABADELL, Ana Lúcia. Tormenta juris permissione: Tortura e Processo Penal na Península Ibérica (séculos XVI-XVIII). Rio de Janeiro: ICC/Revan, 2006. Coleção Pensamento Criminológico n. 13.
  • SALIBA, Marcelo Gonçalves. Justiça Restaurativa e Paradigma Punitivo. Curitiba: Juruá, 2009.
  • SANCTIS, Fausto Martin de. Combate à Lavagem de Dinheiro. Teoria e Prática. Campinas/SP: Millennium, 2008.
  • SANTANA, Selma Pereira de. Justiça Restaurativa: A Reparação como Conseqüência Jurídico-Penal Autônoma do Delito. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.
  • SANTOS, Juarez Cirino dos. A Criminologia Radical. 2. ed. Curitiba: Lumen Juris/ICPC, 2006.
  • SANTOS, Juarez Cirino dos. Direito Penal: parte geral. Curitiba: Lumen Juris/ICPC, 2006
  • SCURO NETO, Pedro. Sociologia Geral e Jurídica : introdução à lógica jurídica, instituições do Direito, evolução e controle social. 6. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.
  • SEBOLD, Alice. Sorte. Trad. Fernanda Abreu. Rio de Janeiro: Ediouro, 2003.
  • SHECAIRA, Sérgio Salomão. Criminologia. 2. ed. rev. atual. e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
  • SHECAIRA, Sérgio Salomão. Sistema de Garantias e o Direito Penal Juvenil. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
  • SICA, Leonardo. Justiça Restaurativa e Mediação Penal - O Novo Modelo de Justiça Criminal e de Gestão do Crime. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.
  • SLAKMON, Catherine; MACHADO, Maíra Rocha; BOTTINI, Pierpaolo Cruz (Orgs.). Novas direções na governança da justiça e da segurança. Brasília-DF: Ministério da Justiça, 2006.
  • SLAKMON, Catherine; VITTO, Renato Campos Pinto De; PINTO, Renato Sócrates Gomes (org.). Justiça Restaurativa: Coletânea de artigos. Brasília: Ministério da Justiça e PNUD, 2005.
  • SOARES, Orlando. Sexologia Forense. Rio de Janeiro: Freitas Bastas, 1990.
  • SOUZA, José Guilherme de. Vitimologia e violência nos crimes sexuais: uma abordagem interdisciplinar. Porto Alegre: Safe, 1998
  • SOUZA, Paulo Sérgio Xavier de. Individualização da Pena no Estado Democrático de Direito. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 2006.
  • SPOSATO, Karyna Batista. O Direito Penal Juvenil. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2006.
  • SQUARISI, Dad; SALVADOR, Arlete. Escrever Melhor — Guia para passar os textos a limpo. São Paulo: Contexto, 2008.
  • SUMARIVA, Paulo. Criminologia - Teoria e Prática. Niterói: Impetus, 2013.
  • SÁ, Alvino Augusto de. Criminologia Clínica e Psicologia Criminal. prefácio Carlos Vico Manãs. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.
  • TASSE, Adel El. Criminologia. São Paulo: Saraiva, 2013. Col. Saberes do Direito, v. 58.
  • TELES, Maria Amelia de Almeida. O que são Direitos Humanos das Mulheres. São Paulo: Brasiliense, 2006.
  • TELES, Maria Amélia de Almeida; MELO, Mônica de. O que é violência contra a mulher. São Paulo: Brasiliense, 2003. (Coleção primeiros passos; 314)
  • TOURINHO, José Lafaieti Barbosa. Crime de Quadrilha ou Bando de Associações Criminosas. 2. ed., rev. e atual. Curitiba: Juruá, 2008.
  • VASCONCELOS, Carlos Eduardo de. Mediação de conflitos e práticas restaurativas. São Paulo: Método, 2008.
  • VERARDO, Maria Tereza. Sexualidade violentada: as marcas de uma tentativa de destruição. São Paulo: O Nome da Rosa, 2000.
  • VEZZULLA, Juan Carlos. A Mediação de Conflitos com Adolescentes Autores de Ato Infracional. Florianópolis: Habitus, 2006.
  • VIANNA, Túlio Lima. Transparência pública, opacidade privada: o direito como instrumento de limitação do poder na sociedade de controle. Rio de Janeiro: Revan, 2007.
  • VIGARELLO, Georges. História do Estupro: violência sexual nos séculos XVI-XX. Trad. Lucy Magalhães. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.
  • VILHENA, Leonardo da Silva. A Preclusão para o Juiz no Processo Penal. Curitiba: Juruá, 2007.
  • WACQUANT, Loic. As duas faces do gueto. Trad. Paulo C. Castanheira. São Paulo: Boitempo, 2008.
  • WACQUANT, Loic. As Prisões da Miséria. São Paulo: Jorge Zahar, 2001.
  • WACQUANT, Loic. Punir os Pobres: a nova gestão de miséria nos Estados Unidos. Trad. Eliana Aguiar. Rio de Janeiro: F. Bastos, 2001; Revan, 2003. (Pensamento criminológico; 6)
  • WUNDERLICH, Alexandre; CARVALHO, Salo (org.). Novos Diálogos sobre os Juizados Especiais Criminais. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2005.
  • WUNDERLICH, Alexandre; CARVALHO, Salo de. Dialogos sobre a Justiça Dialogal: Teses e Antiteses do Processo de Informalização. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2002.
  • YOUNG, Jack. A sociedade excludente: exclusão social, criminalidade e diferença na modernidade recente. Trad. Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2002. (Pensamento criminológica; 7)
  • ZAFFARONI, Eugenio Raul. Inimigo no Direito Penal. Rio de Janeiro: Revan, 2007. Coleção Pensamento Criminológico n. 14.
  • ZAFFARONI, Eugenio Raul. Manual de Direito Penal Brasileiro: Parte Especial. 2. Ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007. Vol. 2.
  • ZAFFARONI, Eugenio Raul; PIERANGELI, José Henrique. Manual de Direito Penal Brasileiro: Parte geral. 7. ed. rev. e atual. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007. Vol. 1.
  • ZEHR, Howard. Trocando as lentes: um novo foco sobre o crime e a justiça. Tradução de Tônia Van Acker. São Paulo: Palas Athena, 2008.