Google+ Followers

Pesquisar este blog

Carregando...

terça-feira, 21 de junho de 2016

Newsletter #2 2016 (Victim Support Europe Newsletter # 2 2016)

VSE NEWSLETTER # 2 2016 - 21 de junho de 2016
Baixe o Boletim AQUI

Do Editor


O último mês foi muito movimentada para VSE como nós realizamos nossa Conferência Anual e Assembleia Geral em Utrecht, onde mais de 225 participantes de toda a Europa e do mundo unidas, trocado práticas e comprometida com ações futuras. Nós gostaríamos de agradecer novamente Slachtofferhulp Nederland que co-organizou a conferência e nos ajudou a fazer um grande sucesso fora dele!

Este boletim dá-lhe uma visão geral dos recentes desenvolvimentos, atividades, passado e os próximos eventos e projectos
 de toda a Europa e além. Mais uma vez ele mostra o quão ativo nossos membros têm sido nos últimos 3 meses. Nós esperamos que você vai gostar de ler isso! 
Helgard van Hüllen
Vice-Presidente do Victim Support Europe

CONTEÚDO


PRÓXIMOS EVENTOS

EVOLUÇÃO E ACTIVIDADES RECENTES
    APRESENTAÇÃO DE NOVOS MEMBROS NOTÍCIAS DE NOSSOS MEMBROS Atualizações sobre os projetos

    PRÓXIMOS EVENTOS


    9ª Conferência Internacional 2016 do EFRJ Concretizar Justiça Restaurativa: Direitos humanos e realidades pessoais, 22-24 junho 2016 - Leiden, Holanda. Por favor, encontrar todas as informações aqui .

    Conferência Projeto ISEC do mundo digital e Sexual Offending-policiamento, Cooperação e Vitimização, 23 de Junho de 2016, em Londres. Por favor, encontrar todas as informações aqui .

    EUROCRIM 2016 e Controle do Crime Crime - Estruturas, Desenvolvimentos e Atores, 21-24 setembro de 2016, Münster, Alemanha. Por favor, encontrar todas as informações aqui .

    Conferência de projeto "Targeted das primeiras vítimas necessitam de acompanhamento e suporte", 22-23 Septemebr 2016, Zagreb, Croácia.

    - 2016 Conferência Anual da Sociedade Vitimologia da Sérvia, 24-25 novembro, Belgrado, Sérvia. Mais informações virão em breve.

    EVOLUÇÃO E ACTIVIDADES RECENTES


    Solidariedade com as vítimas do ataque de ódio em Orlando


    No domingo, 12 de junho de 2016 um terrível tiroteio em massa ocorreu em Orlando, Estados Unidos. O ataque odioso como alvo uma comunidade de pessoas LGBTI reivindicando muitas vidas e deixando muitos outros feridos.
    Victim Support Europe deplora esses ataques odiosos e nós transmitir os nossos mais profundos pêsames às famílias enlutadas e às vítimas feridas. Nos solidarizamos com as vítimas, a comunidade LGBTI e com a América nestes terrível moments.Support para as vítimas e suas famílias, agora e no longo prazo será essencial e aplaudimos os esforços dos prestadores de serviços americanos e comunidades no fornecimento de que o cuidado .
    Nós estamos em solidariedade com todas as vítimas do mundo, que são direcionados por causa do que eles acreditam, de onde vêm ou que eles amam.

    VSE presente aos 30 anos de INAVEM em Paris


    Em 8 de Junho de 2016, VSE Francês membro de pleno INAVEM celebrou o seu 30º aniversário. Nesta ocasião INAVEM organizou uma conferência no "Hotel de Ville" de Paris e VSE teve a honra de estar presente. O tema da conferência foi "A digitalização, negócios e mídia: suporte ou instrumentalização das vítimas".

    Um impressionante line-up de palestrantes e painéis de discussão desde que os 600 participantes com um colóquio fascinante. A presença de inúmeros parceiros, ministros antigos e atuais e os decisores políticos, voluntários e funcionários, advogados, profissionais da justiça, jornalistas e representantes de empresas testemunho da forte rede de apoiantes e colaboradores INAVEM tem construído ao longo dos últimos 30 anos.

    Ministro de Estado francês para a Assistência às Vítimas de Juliette Méadel também premiado com a medalha para a "Ordre du Mérite" (Ordem do Mérito) para Sabrina Bellucci, diretor de INAVEM e Vice-Presidente da Victim Support Europe.

    Gostaríamos de felicitar calorosamente Sabrina Bellucci por seu trabalho notável e para a atribuição mais do que merecido pelo Governo francês! 

    Olhando para trás em uma fantástica # VSE2016 Conferência Anual


    Em 25 e 26 de Maio Victim Support Europe e Slachtofferhulp Nederland organizou o apoio anual Vítima Europe Conference. Congratulamo-nos com 225 pessoas de toda a Europa e do mundo na bela Muntgebouw em Utrecht. Neste cenário único membros VSE, profissionais, acadêmicos, políticos, advogados, vítimas, colegas e outras pessoas interessadas em questões vítima unidas, trocado práticas e comprometida com ações futuras.
    Os palestrantes diferentes, desde palestras inspiradoras que lançar luz sobre a vitimização de diferentes perspectivas. A grande variedade de oficinas foram exaustivamente apreciadas pelos participantes como eles se concentraram em tipos específicos de crime, por exemplo, o terrorismo, o tráfico de seres humanos e de violência sexual e diferentes aspectos da vitimização.
    Por favor, veja mais informações sobre onde encontrar as apresentações, relatórios de conferências e fotos aqui .

    VSE falando em LinCT Conferência Contra-terrorismo em Nova York


    A Liderança em Counter Terrorism Alumni Association (LinCT) convidou VSE para falar em sua conferência anual que se realizou em Nova Iorque em 27-29 de abril 2016.

    O tema da conferência foi a mudança Implicações Dynamics e Sociais do terrorismo. O formato dos painéis foi semelhante ao dos anos anteriores com alguma representação de alto nível da CT Policiamento e Serviços de Segurança.

    Tópicos incluídos:
    • visão geral cinco Olhos
    • Law Enforcement perspectiva de gestão e de responder à ameaça
    • Além dos cinco olhos ... visão geral da Indonésia Oriente Médio e Europa
    • A partir de Inteligência para operações
    • Vítimas necessidades como parte da Estratégia
    • Recentes estudos de caso, San Bernardino Paris e na Austrália
    • Resiliência inc UK Prevenir e protetor NYPD
    • Contador radicalização através da mídia social
    • discussão na mídia chave com NBC, CBS NY Times
    Veja mais informações sobre a conferência aqui . 

    APRESENTAÇÃO DE NOVOS MEMBROS

    Nos últimos meses VSE ampliou sua associação com 3 novos membros associados: ATENIN (Espanha), A Comissão para vítimas e sobreviventes na Irlanda do Norte (UK) e Rete Dafne Onlus (Itália). Os direitos das vítimas 'Alliance (República da Irlanda) tornou-se um membro apoiante do VSE.

    Estamos muito satisfeitos em tê-los a bordo e damos as boas vindas-los a Victim Support Europe!

    ATENIN - Espanha



    ATENIN é uma entidade sem fins lucrativos criada no final de 2004 como uma iniciativa de quatro profissionais de diferentes áreas com as mesmas preocupações: pesquisa criminológica, a atenção às vítimas e prevenção do crime.

    ATENIN administra dois grandes projectos: o Serviço de Apoio à Vítima na Andaluzia (SAVA) eo ponto de encontro da família para situações de violência de género.

    A SAVA em Huelva, gerido pela ATENIN desde 2005, fornece orientação e apoio às vítimas de crime ou delito do ponto de vista jurídico, psicológico e social triplo. Este é um serviço público gratuito a nível provincial, que fornece principalmente informação, aconselhamento e assistência jurídica, psicológica e social, a todos aqueles que foram vítimas de qualquer crime ou contravenção. A SAVA Huelva é composto por uma equipe multidisciplinar de profissionais com formação especializada.

    O segundo projeto, o Ponto de Encontro da Família para situações de violência, também é aplicado a nível provincial. Tudo começou em março de 2007 e foi criado como um recurso público para a prevenção da violência cuja finalidade é assegurar o direito dos menores a se envolver com o pai não privativas de liberdade em situações de violência doméstica. 

    Comissão para as Vítimas e Sobreviventes - Irlanda do Norte


    Comissão de Apoio às Vítimas e Sobreviventes(CVS) foi fundada em maio de 2008 sob as vítimas e sobreviventes (Irlanda do Norte) de 2006. É um Departamental corpo não do Gabinete do Primeiro e do vice-primeiro-ministro (OFMDFM) e tem uma chave papel na estratégia de OFMDFM para vítimas e sobreviventes 2009-2019.

    A visão do CVS é ​​melhorar a vida de todas as vítimas e sobreviventes do conflito e sua missão é atender às necessidades de todas as vítimas e sobreviventes, garantindo excelente prestação de serviços, reconhecendo o legado do passado e construir um futuro melhor.

    prioridades estratégicas do CVS são:
    1. Para garantir a excelente prestação de serviços a todas as vítimas e sobreviventes
    2. Para aumentar a conscientização do impacto do passado em todas as vítimas e sobreviventes
    3. Para capacitar e apoiar as vítimas e sobreviventes de fazer uma contribuição para um futuro melhor e partilhada
    4. Promover e permitir melhores práticas por todos os prestadores de serviços a todas as vítimas e sobreviventes
    5. Para aumentar a conscientização das vítimas e questões de sobrevivência entre governo, da mídia e da sociedade em geral
    6. Para demonstrar eficaz de governança corporativa

    Rete Dafne Onlus - Itália


    O projeto "Rete Dafne" foi estabelecida como uma associação sem fins lucrativos (Rete Dafne Onlus) em novembro de 2015. A associação é uma rede de 6 organizações.

    A missão da organização é ajudar e fornecer serviços directos para todas as vítimas de qualquer tipo de crime.

    A equipe da associação é formada por profissionais especializados e qualificados (8 psicólogos, psiquiatras 3, 2 advogados, 4 mediadores, 2 assistentes sociais e 2 secretários).

    Rete Dafne Onlus implementar atividades dirigidas às vítimas, bem como atividades "indiretas" destinados aos operadores, a rede de serviços e da comunidade local. Os serviços prestados às vítimas são divididos em quatro fases: 1. Informações; 2. Bem-vindo; 3. Orientação; 4. itinerários especializados.

    Desde 2008 mais de 1400 vítimas foram assistidas. 

    Alliance direitos das vítimas - Irlanda


    Os Alliance Direitos Vítimas ' (VRA) é uma aliança de organizações de apoio às vítimas e dos direitos humanos na Irlanda.

    A Aliança foi formada com um objetivo fundamental: garantir a Directiva Direitos das Vítimas é implementado na Irlanda dentro do prazo proposto, com todas as vítimas de crime em mente.

    O VRA foi lançada pelo então Ministro da Justiça Alan Shatter no dia 15 de novembro de 2013. Esta data foi escolhida como ele marcou uma contagem regressiva de dois anos para a aplicação da directiva. Desde essa data, muitas mais organizações se juntaram à VRA e muitas mais organizações manifestaram interesse em se tornarem membros.

    NOTÍCIAS DE NOSSOS MEMBROS

    ÁUSTRIA

    Weisser Anel
    Os projectos-piloto com a polícia e os sindicatos

    Atualmente, apenas cerca de 10% das vítimas de crimes em contato com WEISSER ANEL Áustria. Isto é em parte devido à falta de consciência sobre as oportunidades de apoio dentro da sociedade e, por outro, à atribuição insuficiente de casos por agências de aplicação da lei.

    Uma das iniciativas que visa aumentar o número de contatos da vítima, em WEISSER ANEL, é um projeto piloto com a polícia em Viena. De acordo com a legislação de proteção de vítima na Áustria agências de aplicação da lei são obrigados a informar as vítimas da criminalidade sobre o suporte disponíveis e sobre os serviços prestados por WEISSER ANEL como a única organização de apoio genérico operando em todo o país. No entanto, atuais materiais de informação disponíveis distribuídos pela polícia não são apresentados de uma forma compreensível para todos os grupos de vítimas, que são caracterizadas por uma grande variedade em termos de competências linguísticas e da compreensão do sistema de justiça. WEISSER RING - em cooperação com a polícia Viena - tem, portanto, concebido um dossier que cumpra "fácil de ler" critérios de modo que possa ser entendida por uma ampla gama de vítimas da criminalidade, incluindo as pessoas com dificuldades de aprendizagem ou competências linguísticas pobres.

    A segunda medida para aumentar o número de contatos é um projeto com dois sindicatos austríacos. Usando o slogan "da cena do crime no local de trabalho" estamos a criar uma plataforma comum para as vítimas de violência no local de trabalho. As vítimas devem ser fornecidos com um suporte rápido e eficiente e vai receber aconselhamento jurídico e psicológico em processos judiciais. Uma campanha de informação está prevista para promover esta plataforma através da mídia. 

    CROÁCIA

    Branco Anel Croácia
    Desde o último boletim VSE março temos estado ocupados com os nossos clientes proporcionando um grande número deles com a ajuda emocional e legal.

    Em 11 de maio nosso presidente Livija Plančić e nossa terapeuta foram convidados na TV Jadran, onde eles falaram sobre nossa associação, os resultados do nosso trabalho e como é importante para falar sobre violência e para denunciá-lo.

    Em 15 de abril Livija Plančić foi orador convidado em um seminário organizado pela WONET (Rede de Mulheres para o futuro da Europa), na ilha de Hvar. Ela falou sobre o problema da violência doméstica e as formas uma vítima podem ser ajudados ou na nossa associação ou entrando em contato com outras instituições.

    Em 26 de abril Livija Plančić também foi um orador convidado na conferência "A violência contra a criança", organizado pela ELSA (The Law Students Association Europeia) na Universidade de Split, onde ela também falou sobre a importância da notificação de violência doméstica e os impactos da violência doméstica sobre crianças.

    Por favor encontrar mais informações aqui . 

    CROÁCIA

    Vítima croata e Serviço de Apoio Witness
    Projeto em andamento

    A vítima croata e Witness Service Support (VWSS) está actualmente a implementar o projeto "Fortalecimento das capacidades das OSC para prestar apoio" (01 de julho 2015- 31 de julho de 2016), que é financiado pela Fundação Nacional para o Desenvolvimento da Sociedade Civil (operador do EEE e subvenções Noruega na Croácia). O principal objetivo do projeto é fortalecer a capacidade das organizações da sociedade civil para a prestação de apoio à vítima e testemunha em áreas onde o apoio é insuficiente ou não existente. As atividades são como objetivo selecionar e educar voluntários na área de direito e psicologia, para que eles sejam capazes de dar apoio emocional, informação jurídica e orientação prática para vítimas e testemunhas. Até agora, o apoio tem sido implementado em Dubrovacko-Neretvanska, Pozesko-slavonska condado, Varazdinska e Istarska concelho e VWSS tem educado 40 novos voluntários.

    Centro Nacional de chamadas para as Vítimas de Crimes

    Em abril foi fornecido 2.016 educação básica para 16 novos voluntários para o 116 006 linha de apoio e o Call Center Nacional participou na Cimeira da Paz Primeiro Europeia em Budapeste.

    Em maio de 2016, a Central de Atendimento Nacional participou da reunião 116 006 helpine organizado pela Bily Kruh Bezpeci em Praga.

    Os voluntários que trabalham em 116 006 Helpline organizou um evento intitulado "voluntários Croácia!" Em Zagreb, onde eles ofereceram informações sobre VWSS Croácia, educados sobre a importância da "coragem civil", e fez um vídeo promocional sobre o sistema de apoio à vítima, na Croácia

    VWSS foi concedido pelo Gabinete Governamental para a Cooperação com as ONG na Croácia para promover o voluntariado entre os estudantes com o prémio de "suporte PR para programas de ONG socialmente benéficas"

    Mais informações podem ser encontradas aqui . 

    Nenhum comentário:

    Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

    Sugestões: Livros e Revistas

    • AGUIAR, Geraldo Mario de. Sequestro Relâmpago. Curitiba: Protexto, 2008.
    • ANDRADE, Vera Regina Pereira de. Sistema Penal Máximo x Cidadania Mínima: códigos da violência na era da globalização. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2003.
    • ANDRADE. Pedro Ivo. Crimes Contra as Relações de Consumo - Art. 7º da Lei 8.137/90. Curitiba: Juruá, 2006.
    • ANITUA, Gabriel Ignácio. História dos Pensamentos Criminológicos. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2008. Coleção Pensamento Criminológico n. 15.
    • ARAÚJO, Fábio Roque e ALVES, Leonardo Barreto Moreira (coord.). O Projeto do Novo Código de Processo Penal. Salvador: Juspodivm, 2012. 662p.
    • AZEVEDO, Rodrigo Ghiringhelli de; CARVALHO, Salo de. A Crise do Processo Penal e as Novas Formas de Administração da Justiça Criminal. Porto Alegre: Notadez, 2006.
    • BAKER, Mark W. Jesus, o Maior Psicólogo que Já Existiu. São Paulo: Sextante, 2005.
    • BARATA, Alessandro. Criminologia Crítica e Crítica do Direito Penal: introdução à sociologia do direito penal. Trad. e pref. Juarez Cirino dos Santos. 3. ed. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2002. ( Pensamento criminológico; 1)
    • BARBATO Jr, Roberto. Direito Informal e Criminalidade: os códigos do cárcere e do tráfico. Campinas: Millennium, 2006.
    • BARKER, Gary T. Homens na linha de fogo - juventude, masculinidade e exclusão social. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2008.
    • BATISTA, Vera Malagutti. Dificeis ganhos faceis. 2. ed. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2003. (Pensamento criminológico; 2)
    • BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Trad. Maria Helena Kühner. 4. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.
    • BRAUN, Suzana. A violência sexual infantil na família: do silêncio à revelação do segredo. Porto Alegre: AGE, 2002.
    • CARNEGIE, Dale. Como fazer amigos e influenciar pessoas. Trad. de Fernando Tude de Souza. Rev. por José Antonio Arantes de acordo com a edição americana de 1981 aumentada por Dorothy Carnegie. 51. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2003.
    • CARVALHO, Salo de. A Política Criminal de Drogas no Brasil (Estudo Criminológico e Dogmático). 4. ed. ampl. e atual. e com comentários à Lei 11.343/06. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.
    • CARVALHO, Salo de. Anti Manual de Criminologia. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2008.
    • CARVALHO, Salo de. Crítica à Execução Penal - 2. ed. rev., ampl. e atual. de acordo com a Lei nº 10.792/2003. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.
    • CASTRO, Lola Aniyar de. Criminologia da Libertação. Trad. Sylvia Moretzsohn. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2005. (Pensamento criminológica; v. 10)
    • CERVINI, Raul. Os processos de descriminalização. 2. ed. rev. da tradução. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2002.
    • CHARAM, Isaac. O estupro e o assédio sexual: como não ser a próxima vítima. Rio de Janeiro: Record/Rosa dos Ventos, 1997.
    • COSTA, Yasmin Maria Rodrigues Madeira da. O Significado ideológico do sistema punitivo brasileiro. Rio de Janeiro: Revan, 2005.
    • D'AVILA, Fabio Roberto; SOUZA, Paulo Vinicius Sporleder de. Direito Penal Secundário: Estudos sobre Crimes Econômicos, Ambientais, Informática. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2006.
    • D'ELIA FILHO. Orlando Zaccone. Acionistas do Nada: quem são os traficantes de droga. Rio de Janeiro: Revan, 2007.
    • DA ROSA, Alexandre Morais. Guia Compacto de Processo Penal conforme a Teoria dos Jogos. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2013.
    • DA SILVA, Edimar Carmo; URANI, Marcelo Fernandez. Manual de Direito Processual Penal Acusatório. Curitiba: Juruá, 2013.
    • DE GIORGI, Alessandro. A miséria governada através do sistema penal. Rio de Janeiro: ICC/Revan, 2006. Coleção Criminológica n. 12.
    • DIMOULIS, Dimitri. Manual de Introdução ao Estudo do Direito. 2. ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.
    • DIMOULIS, Dimitri. O caso dos denunciantes invejosos: introdução prática às relações entre direito, moral e justiça. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2003.
    • DOUGLAS, William. Como falar bem em público/ William Douglas, Ana Lúcia Spina, Rogério Sanches Cunha. São Paulo: Ediouro, 2008.
    • FERNANDES, Antonio Scarance. Processo Penal Constitucional. 7. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2012.
    • FERNANDES, Antonio Scarance. Processo Penal Constitucional. 7. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2012.
    • FERREIRA, Francisco Amado. Justiça Restaurativa: Natureza. Finalidades e Instrumentos. Coimbra: Coimbra, 2006.
    • FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: história da violência nas prisões. 33. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.
    • FRANCO, Alberto Silva. Crimes Hediondos. 6. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.
    • FREIRE, Christiane Russomano. A violência do sistema penitenciário brasileiro contemporâneo: o caso RDD ( regime disciplinar diferenciado). São Paulo: IBCCRIM, 2005 (Monografias / IBCCRIM; 35)
    • GERBER, Daniel; DORNELLES, Marcelo Lemos. Juizados Especiais Criminais Lei n.º 9.099/95: comentários e críticas ao modelo consensual penal. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2006.
    • GIORGI, Alessandro De. A miséria governada através do sistema penal. Trad. Sérgio Lamarão. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2006 (Pensamento criminológico; v. 12)
    • GOFFMAN, Erving. Manicômios, prisões e conventos. Trad. Dante Moreira Leite. São Paulo: Perspectiva, 2007. (Debate; 91/ Dirigida por J. Guinsburg)
    • GOMES, Rodrigo Carneiro. Crime Organizado na visão da Convenção de Palermo. Belo Horizonte/MG: Del Rey, 2008.
    • GRISHAM ,John. O advogado. Trad. de Aulyde Soares Rodrigues. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.
    • JAKOBS, Günther; MELIÁ, Manuel Cancio. Direito Penal do inimigo: noções e críticas. org. e trad. André Luís Callegari, Nereu José Giacomolli. 2. ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2007.
    • JUNIOR, Heitor Piedade et al. Vitimologia em debate II. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 1997.
    • JUNIOR, Heitor Piedade. Vitimologia: evolução no tempo e no espaço. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1993.
    • KALIL, Gloria. Alô, Chics ! - Etiqueta Contemporânea. Rio de Janeiro: Ediouro, 2007.
    • KARAM. Maria Lúcia. Juizados Especiais Criminais: a concretização antecipada do poder de punir. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2004.
    • KHADY. Mutilada. Khady com a colaboração de Marie-Thérère Cuny. Trad. de Rejane Janowitzer. Rio de Janeiro: Rocco, 2006.
    • KONZEN, Afonso Armando. Justiça Restaurativa e Ato Infracional: Desvelando Sentidos no Itinerário da Alteridade. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2007.
    • KOSOVSKI, Ester (org.); JUNIOR, Heitor Piedade (org.).Vitimologia e direitos humanos.Rio de Janeiro:Reproart,2005
    • KOSOVSKI, Ester: PIEDADE JR, Heitor (org.). Temas de Vitimologia II. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2001.
    • KOSOVSKI, Ester; SÉGUIN, Elida (coord.). Temas de Vitimologia. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2000
    • LOPES JÚNIOR, Aury. Direito Processual Penal. 10. ed. São Paulo: Saraiva, 2013.
    • MARTIN, Luís Gracia. O Horizonte do Finalismo e o Direito Penal do Inimigo. Trad. Érika Mendes de Carvalho e Luiz Regis Prado. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.
    • MAZZILLI NETO, Ranieri. Os caminhos do Sistema Penal. Rio de Janeiro: Revan, 2007.
    • MAÍLLO. Alfonso Serrano. Introdução à Criminologia. Trad. Luiz Regis Prado. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.
    • MELOSSI, Dario; PAVARINI, Massimo. Cárcere e fábrica: as origens do sistema penitenciário (séculos XVI - XIX). Trad. Sérgio Lamarão. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2006. (Pensamento criminológico; v. 11).
    • MENDRONI, Marcelo Batlouni. Crime de lavagem de dinheiro. São Paulo: Atlas, 2006.
    • MENDRONI, Marcelo Batlouni. Crime Organizado - Aspectos Gerais e Mecanismos Legais. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2007.
    • MEROLLI, Guilherme. Fundamentos Críticos de Direito Penal - Curso Ministrado na Cadeira de Direito Penal I da UFSC. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.
    • MESTIERI, Jõao. Manual de Direito Penal. 1. ed., 2. tiragem. Rio de Janeiro: Forense, 2002. v. I.
    • MOLINA, Antonio Garcia-Pablos de; GOMES, Luiz Flávio. Criminologia. Org. Rogério Sanches Cunha. 6. ed. ref., atual e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
    • MULLER, Jean Marie. Não-violência na educação. Trad. de Tônia Van Acker. São Paulo: Palas Atenas, 2006.
    • NEPOMOCENO, Alessandro. Além da Lei - a face obscura da sentença penal. Rio de Janeiro: Revan, 2004.
    • NEVES, Eduardo Viana Portela. Criminologia para concursos públicos. Salvador: Juspodivm, 2013.
    • NUCCI, Guilherme de Souza. Código de Processo Penal Comentado. 7. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
    • NUCCI, Guilherme de Souza. Código Penal Comentado. 8. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
    • NUCCI, Guilherme de Souza. Leis Penais e Processuais Penais Comentadas. 3. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
    • NUCCI, Guilherme de Souza; NUCCI, Naila Cristina Ferreira. Prática Forense Penal. 3. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
    • OLIVEIRA, Ana Sofia Schmidt de. A Vítima e o Direito Penal: uma abordagem do movimento vitimológico e de seu impacto no direito penal. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1999.
    • OLMO, Rosa. A América Latina e sua criminologia. Rio de Janeiro: ICC/Revan, 2004. Coleção Pensamento Criminológico n. 9.
    • PACELLI, Eugênio. Curso de Processo Penal. 16 ed. São Paulo: Atlas, 2012.
    • PASUKANIS, Eugeny Bronislanovich. A teoria geral do direito e o marxismo. trad., apres. e notas por Paulo Bessa. Rio de Janeiro: Renovar, 1989.
    • PEASE, Allan; PEASE, Barbara. Como conquistar as pessoas. Trad. de Márcia Oliveira. Rio de Janeiro: Sextante, 2006.
    • PEASE, Allan; PEASE, Barbara. Desvendando os segredos da linguagem corporal. Trad. Pedro Jorgensen Junior. Rio de Janeiro: Sextante, 2005.
    • POLITO, Reinaldo. Oratória para advogados e estudantes de Direito. São Paulo: Saraiva, 2008.
    • POLITO, Reinaldo. Oratória para advogados e estudantes de Direito. São Paulo: Saraiva, 2008.
    • POLITO, Reinaldo. Superdicas para falar bem: em conversas e apresentações. São Paulo: Saraiva, 2005.
    • PORTO, Roberto. Crime Organizado e Sistema Prisional. São Paulo: Atlas, 2007.
    • PRADO, Luiz Regis. Bem Jurídico-Penal e Constituição. 3. ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2003.
    • PRADO, Luiz Regis. Comentários ao Código Penal. 4. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.
    • Revista Visão Jurídica - Editora Escala (www.escala.com.br)
    • RODRIGUES, Anabela Miranda. A posição jurídica do recluso na execução da pena privativa de liberdade. São Paulo: IBCCRIM, 1999 (Monografias / IBCCRIM; 11)
    • ROSA, Alexandre Morais da. Garantismo Jurídico e Controle de Constitucionalidade Material. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2005.
    • ROSA, Alexandre Morais da. Introdução Crítica ao Ato Infracional - Princípios e Garantias Constitucionais. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.
    • ROSA, Alexandre Morais da. Para um Processo Penal Democrático: Crítica à Metástase do Sistema de Controle Social. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2008.
    • ROVINSKI, Sonia Liane Reichert. Dano Psíquico em Mulheres Vítima de Violência. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2004.
    • RUSCHE, Georg; KIRCHHEIMER, Otto. Punição e Estrutura Social. 2. ed. Trad. Gizlene Neder. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2004. (Pensamento criminológico; 3)
    • SABADELL, Ana Lucia; DIMOULIS, Dimitri; MINHOTO, Laurino Dias. Direito Social, Regulação Econômica e Crise do Estado. Rio de Janeiro: Revan, 2006.
    • SABADELL, Ana Lúcia. Manual de Sociologia Jurídica: Introdução a uma Leitura Externa do Direito. 4. ed. rev., atual. e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
    • SABADELL, Ana Lúcia. Tormenta juris permissione: Tortura e Processo Penal na Península Ibérica (séculos XVI-XVIII). Rio de Janeiro: ICC/Revan, 2006. Coleção Pensamento Criminológico n. 13.
    • SALIBA, Marcelo Gonçalves. Justiça Restaurativa e Paradigma Punitivo. Curitiba: Juruá, 2009.
    • SANCTIS, Fausto Martin de. Combate à Lavagem de Dinheiro. Teoria e Prática. Campinas/SP: Millennium, 2008.
    • SANTANA, Selma Pereira de. Justiça Restaurativa: A Reparação como Conseqüência Jurídico-Penal Autônoma do Delito. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.
    • SANTOS, Juarez Cirino dos. A Criminologia Radical. 2. ed. Curitiba: Lumen Juris/ICPC, 2006.
    • SANTOS, Juarez Cirino dos. Direito Penal: parte geral. Curitiba: Lumen Juris/ICPC, 2006
    • SCURO NETO, Pedro. Sociologia Geral e Jurídica : introdução à lógica jurídica, instituições do Direito, evolução e controle social. 6. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.
    • SEBOLD, Alice. Sorte. Trad. Fernanda Abreu. Rio de Janeiro: Ediouro, 2003.
    • SHECAIRA, Sérgio Salomão. Criminologia. 2. ed. rev. atual. e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
    • SHECAIRA, Sérgio Salomão. Sistema de Garantias e o Direito Penal Juvenil. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2008.
    • SICA, Leonardo. Justiça Restaurativa e Mediação Penal - O Novo Modelo de Justiça Criminal e de Gestão do Crime. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.
    • SLAKMON, Catherine; MACHADO, Maíra Rocha; BOTTINI, Pierpaolo Cruz (Orgs.). Novas direções na governança da justiça e da segurança. Brasília-DF: Ministério da Justiça, 2006.
    • SLAKMON, Catherine; VITTO, Renato Campos Pinto De; PINTO, Renato Sócrates Gomes (org.). Justiça Restaurativa: Coletânea de artigos. Brasília: Ministério da Justiça e PNUD, 2005.
    • SOARES, Orlando. Sexologia Forense. Rio de Janeiro: Freitas Bastas, 1990.
    • SOUZA, José Guilherme de. Vitimologia e violência nos crimes sexuais: uma abordagem interdisciplinar. Porto Alegre: Safe, 1998
    • SOUZA, Paulo Sérgio Xavier de. Individualização da Pena no Estado Democrático de Direito. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 2006.
    • SPOSATO, Karyna Batista. O Direito Penal Juvenil. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2006.
    • SQUARISI, Dad; SALVADOR, Arlete. Escrever Melhor — Guia para passar os textos a limpo. São Paulo: Contexto, 2008.
    • SUMARIVA, Paulo. Criminologia - Teoria e Prática. Niterói: Impetus, 2013.
    • SÁ, Alvino Augusto de. Criminologia Clínica e Psicologia Criminal. prefácio Carlos Vico Manãs. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.
    • TASSE, Adel El. Criminologia. São Paulo: Saraiva, 2013. Col. Saberes do Direito, v. 58.
    • TELES, Maria Amelia de Almeida. O que são Direitos Humanos das Mulheres. São Paulo: Brasiliense, 2006.
    • TELES, Maria Amélia de Almeida; MELO, Mônica de. O que é violência contra a mulher. São Paulo: Brasiliense, 2003. (Coleção primeiros passos; 314)
    • TOURINHO, José Lafaieti Barbosa. Crime de Quadrilha ou Bando de Associações Criminosas. 2. ed., rev. e atual. Curitiba: Juruá, 2008.
    • VASCONCELOS, Carlos Eduardo de. Mediação de conflitos e práticas restaurativas. São Paulo: Método, 2008.
    • VERARDO, Maria Tereza. Sexualidade violentada: as marcas de uma tentativa de destruição. São Paulo: O Nome da Rosa, 2000.
    • VEZZULLA, Juan Carlos. A Mediação de Conflitos com Adolescentes Autores de Ato Infracional. Florianópolis: Habitus, 2006.
    • VIANNA, Túlio Lima. Transparência pública, opacidade privada: o direito como instrumento de limitação do poder na sociedade de controle. Rio de Janeiro: Revan, 2007.
    • VIGARELLO, Georges. História do Estupro: violência sexual nos séculos XVI-XX. Trad. Lucy Magalhães. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.
    • VILHENA, Leonardo da Silva. A Preclusão para o Juiz no Processo Penal. Curitiba: Juruá, 2007.
    • WACQUANT, Loic. As duas faces do gueto. Trad. Paulo C. Castanheira. São Paulo: Boitempo, 2008.
    • WACQUANT, Loic. As Prisões da Miséria. São Paulo: Jorge Zahar, 2001.
    • WACQUANT, Loic. Punir os Pobres: a nova gestão de miséria nos Estados Unidos. Trad. Eliana Aguiar. Rio de Janeiro: F. Bastos, 2001; Revan, 2003. (Pensamento criminológico; 6)
    • WUNDERLICH, Alexandre; CARVALHO, Salo (org.). Novos Diálogos sobre os Juizados Especiais Criminais. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2005.
    • WUNDERLICH, Alexandre; CARVALHO, Salo de. Dialogos sobre a Justiça Dialogal: Teses e Antiteses do Processo de Informalização. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2002.
    • YOUNG, Jack. A sociedade excludente: exclusão social, criminalidade e diferença na modernidade recente. Trad. Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Revan/ICC, 2002. (Pensamento criminológica; 7)
    • ZAFFARONI, Eugenio Raul. Inimigo no Direito Penal. Rio de Janeiro: Revan, 2007. Coleção Pensamento Criminológico n. 14.
    • ZAFFARONI, Eugenio Raul. Manual de Direito Penal Brasileiro: Parte Especial. 2. Ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007. Vol. 2.
    • ZAFFARONI, Eugenio Raul; PIERANGELI, José Henrique. Manual de Direito Penal Brasileiro: Parte geral. 7. ed. rev. e atual. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007. Vol. 1.
    • ZEHR, Howard. Trocando as lentes: um novo foco sobre o crime e a justiça. Tradução de Tônia Van Acker. São Paulo: Palas Athena, 2008.